violência sexual

NÃO ESPERE PARA DENUNCIAR! AS PRIMEIRAS HORAS SÃO ESSENCIAIS PARA A SAÚDE FÍSICA DA VÍTIMA E PARA A JUSTIÇA SER FEITA COM MAIS PROVAS!

PROCEDIMENTOS
NOS HOSPITAIS
  • Acolhimento pela enfermeira e encaminhamento para atendimento médico, para realização dos exames e profilaxia das doenças resultantes da violência sexual (se necessário).

  • Médico: 
    1) Será realizada a anamnese (tipo de violência, hora da violência, qual a relação do agressor com a vítima, agressor fez uso de preservativo, número de agressores, última menstruação etc.); 
    2) Será prescrita as medicações de acordo com o protocolo e orientar o seu uso, em conjunto com a enfermeira; 
    3) Será solicitado TGO, TGP e o TIG (teste imunológico para gravidez), caso seja necessário o uso de antirretrovirais, assim como esclarecer os seus efeitos colaterais, visando melhor adesão. 
    Além disso, o médico deve referendar o paciente para Centro de Saúde referência em DST/AIDS de sua localidade para continuidade da profilaxia das doenças.

PASSE O MOUSE AQUI

PASSE O MOUSE AQUI

PROCEDIMENTOS NOS HOSPITAIS:

ATENDIMENTO NOS
CENTROS DE SAÚDE REFERÊNCIA

PASSE O MOUSE AQUI

PASSE O MOUSE AQUI

EM DST/AIDS

ATENDIMENTO NOS CENTROS DE SAÚDE REFERÊNCIA EM DST/AIDS:

  • Paciente deverá ser atendido pelo ginecologista,clínico, pediatra ou infectologista, pela enfermeira do Programa de DST/AIDS, pela assistente social e psicóloga. As consultas de retorno deverão ser agendadas para 30, 60, 90 e 180 dias. 

  • O paciente deverá obter o restante dos anti-retrovirais para completar os 28 dias da profilaxia (conforme receita da emergência) e preservativos. 

  • O profissional deverá encaminhar o paciente ao grupo de adesão se tiver dificuldade de tomar os ARV (anti-retrovirais). 

  • Orientar todas as vítimas de violência sexual, até descartar contaminação pelo HIV (6 meses), a realizar os seguintes cuidados:
     – uso regular de preservativos; 
    – não engravidar/não amamentar;
    – não fazer doação de sangue; 
    – fazer uso das outras doses da vacina para Hepatite B (30 e 180 dias); 
    – retornar imediatamente se ocorrer atraso menstrual, que pode ser indício de gravidez; 
    – manter a mulher bem informada e esclarecer dúvidas a cada consulta.

ATENDIMENTO
MÉDICO
  • O paciente deverá ser acompanhado pelo médico (pediatra, clínico e/ou ginecologista). 

  • Será realizada a anamnese detalhada do caso, exame físico completo, com descrição detalhada das lesões, inclusive da genitália e ânus, e hipótese diagnóstica. 

  • Será solicitado os exames abaixo no primeiro dia da consulta e programar os seus controles: 
    – Sorologias: VDRL, controle com 45 e 90 dias. 
    – Hepatite B e C, controle com 180 dias.
    – Anti-HIV, controle com 90 e 180 dias. 
    – Cultura de secreção vaginal e endocervical. 
    – Hemograma completo e transaminases após os 28 dias de uso dos ARV.

  • Será solicitado exames complementares (caso necessário) e prescrevido medicações. 

  • Ao ser detectada a situação de violência, será preenchida a Ficha Única de Notificação

  • A vítima de violência será encaminhada para o PAV (onde houver) ou Serviço Social. 

  • O médico participará de uma reunião para estudo de caso.

Após o atendimento médico e da enfermagem, a vítima de violência sexual deverá ser atendida pelo assistente social e psicólogo.

PASSE O MOUSE AQUI

PASSE O MOUSE AQUI

ATENDIMENTO DO MÉDICO:

DO
EM MULHERES

PASSE O MOUSE AQUI

PASSE O MOUSE AQUI

VIOLÊNCIA SEXUAL EM MULHERES

  • Será realizada a anamnese (tipo de violência, hora da violência, qual a relação do agressor com a vítima, se o agressor fez uso de preservativo, número de agressores, última menstruação, uso de contraceptivo etc.).

  • Será feito o  exame clínico e ginecológico (só realizar toque vaginal ou anal se houver necessidade emergencial). Nesse caso, será coletada provas para o IML, por meio de dois SWABs ou similar, acondicionado em papel filtro estéril e mantido em envelope lacrado em ambiente climatizado. 

  • Até 72 horas após a ocorrência da violência sexual, será iniciada a profilaxia das DST/AIDS, Hepatite B e de gravidez (quando necessário). 

  • A paciente será orientada no sentido de comparecer à Delegacia de Polícia para registrar ocorrência e, a partir daí, será encaminhada para o exame pericial do IML, pois a comprovação do espermatozoide é feita até 12 horas após o coito anal e até 48 horas após o coito vaginal. 

  • Se a agressão ocorreu quando a vítima estava indo (ou vindo) para (do) o trabalho, será orientada para fazer ocorrência de acidente de trabalho. 

  • Será encaminhada para o Centro de Saúde referência em DST/AIDS mais próximo da residência ou trabalho, a fim de adquirir o restante das medicações antirretrovirais, preservativos e fazer acompanhamento com médico (ginecologista, clínico ou infectologista)

  • Será encaminhada, para acompanhamento social e psicológico. 

VIOLÊNCIA
SEXUAL 
VIOLÊNCIA SEXUAL
EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES
  • Será feito o exame clínico e ginecológico. 

  • Nos casos suspeitos de violência sexual contra criança, será solicitada uma avaliação do ginecologista visando contribuir no diagnóstico de suspeita.

  • Até 72 horas após a ocorrência da violência sexual, será iniciada a profilaxia do HIV e de gravidez (quando necessário); será iniciada a profilaxia da DST e Hepatite B; o profissional de saúde deve encaminhar a criança/adolescente para o Centro de Saúde referência em DST/AIDS mais próximo da residência dela, a fim de adquirir o restante das medicações antirretrovirais e fazer o acompanhamento. 

  • Será realizada a orientação da paciente e familiares. 

  • A criança/adolescente será encaminhada para acompanhamento psicossocial. 

PASSE O MOUSE AQUI

PASSE O MOUSE AQUI

VIOLÊNCIA SEXUAL EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES:

VIOLÊNCIA
SEXUAL
EM IDOSOS
  • Será realizada a anamnese (tipo de violência, hora da violência, qual a relação do agressor com a vítima, se o agressor fez uso de preservativo, número de agressores etc.). 

  • Será feito o exame clínico e ginecológico (só realizar toque vaginal ou anal se houver necessidade emergencial. Nesse caso será feita a coelta de provas para o IML, através de dois SWABs ou similar, acondicionado em papel filtro estéril e mantido em envelope lacrado em ambiente climatizado. 

  • Até 72 horas após a ocorrência da violência sexual, será iniciada a profilaxia das DST/AIDS, Hepatite B. 

  • Se a agressão ocorreu quando a vítima estava indo para o trabalho ou vindo, será orientada para fazer ocorrência de acidente de trabalho. 

  • Serão feitas as orientações necessárias.

  • Será encaminhada para o Centro de Saúde referência em DST/AIDS mais próximo da residência ou trabalho, a fim de adquirir o restante das medicações antirretrovirais, preservativos e fazer acompanhamento com médico (ginecologista, clínico ou infectologista). 

  • Será encaminhada para acompanhamento social e psicológico 

PASSE O MOUSE AQUI

PASSE O MOUSE AQUI

VIOLÊNCIA SEXUAL EM IDOSOS: